Perguntas Frequentes

Selecionamos as perguntas mais frequentes em nossa central de atendimento

A coleta de exames laboratoriais pode ser realizada após 2 horas da administração do contraste.

Sim, porém alguns exames podem ter restrições quanto ao uso de medicamentos. Seu médico e a equipe médica do Laboratório Franceschi poderão lhe orientar caso as restrições estejam presentes.

Não é mais necessário estar 12 horas em jejum para coleta desses exames.

O jejum só será exigido se o seu médico indicar e/ou caso o paciente tenha que fazer algum outro exame que necessite da pausa na alimentação, como é o caso do exame de glicemia em jejum, que mantém esse tipo de exigência.

Para crianças, especialmente em fase de amamentação, utilizamos como padrão um jejum de três horas para certos exames, porém, em situações específicas, esse período pode ser alterado ou até dispensado.

 

Entre em contato com o laboratório para saber quais as orientações para os exames do seu filho. Grande parte deles não precisa de jejum.

Não. O consumo pode ser habitual.

Sim. Grande parte dos exames não precisa de jejum ou necessita de um período curto de 3 a 4 horas. Confirme o procedimento de seus exames através de nossa central de atendimento e veja o horário de funcionamento de nossas unidades.

As exceções são os exames de cortisol, ferro e ACTH (hormônio adrenocorticotrófico)*. Esses devem ser coletados preferencialmente pela manhã, quando os níveis dessas substâncias estão mais elevados.

Não. A bebida alcoólica pode interferir no resultado. Após a ingestão, aguarde 72 horas para realizar os exames.

Exames de sangue podem ser coletados sem problemas.

O recomendado para exames de urina é que a coleta seja feita fora do período menstrual para que não haja interferência. Coletas de amostras ginecológicas só poderão ser realizados fora do período menstrual.

O hematoma é um sinal de extravasamento de sangue para fora da veia que pode ocorrer no momento da punção ou imediatamente após. Pode ocorrer por fragilidade da veia, coleta feita com muita pressão, pouca ou ausência de compressão no local de punção, uso de medicamentos que alteram a coagulação ou carregar peso em seguida à coleta. Pode vir acompanhado de dor local e raramente esse tipo de hematoma requer intervenção terapêutica, resolvendo-se no decorrer de poucos dias. Procure seguir rigorosamente as orientações da equipe de coleta para evitar a ocorrência desse efeito indesejado da punção venosa.

O recomendado é retirar o coletor gratuitamente no laboratório, pois o exame pode exigir um tipo específico de coletor, diferente daquele universal vendido na farmácia.

Exames coletados em recipientes inadequados não poderão ser aceitos.

O documento de identidade solicitado na abertura da ficha e na sala de coleta é uma segurança para o paciente e para o laboratório, além de ser uma exigência legal.

Ele garante que o convênio médico pertence realmente ao paciente, que a criança está com seus pais ou responsáveis legais e confirma os dados cadastrados no sistema.

Só é necessário agendar exames de curva glicêmica, insulinêmica, teste de estímulo, teste de tolerância a lactose e exames ginecológicos. Para os demais exames, o atendimento é feito por ordem de chegada. Se tiver dúvidas, envie uma cópia digital do pedido médico para nossa central de atendimento: sac@labfranceschi.com.br

Sim. Praticar esportes ou fazer esforço físico pode interferir em alguns exame. Procure orientação com nosso setor de atendimento para obter informações sobre o correto preparo para a coleta de exames.

Exames feitos por convênio precisam ter pedido médico do profissional conveniado.

O contraste interfere no resultado de alguns exames. Procure orientação com nosso setor de atendimento para obter informações sobre o correto preparo para a coleta de exames

O PPD ou tuberculínico é um teste cutâneo para se determinar a reatividade do indivíduo à proteína do bacilo Mycobacterium tuberculosis. No momento o acesso à proteína específica padronizada não encontra-se disponível.

A pesquisa de células LE foi o primeiro ensaio laboratorial utilizado para a pesquisa de anticorpos antinucleares (FAN). Emprega-se nela um método caracterizado por baixa reprodutibilidade e sensibilidade, interpretação complexa e técnica extremamente trabalhosa. A pesquisa de células LE foi eliminada como critério de classificação de doenças autoimunes em 1997, devido ao desenvolvimento de métodos laboratoriais para a pesquisa de anticorpos antinucleares mais simples, reprodutíveis e sensíveis.

Por razões semelhantes às expostas abaixo (Células LE). Foram substituídos por técnicas com características tecnológicas que procuram eliminar interferentes e que permitem melhor padronização e controle da qualidade.

É método de coleta seriada de urina e sêmen, acompanhado de massagem prostática. É empregado na detecção de agentes etiológicos de prostatites infecciosas em homens com atividade sexual independente da idade e que apresentem sintomas compatíveis.