Combate ao Diabetes

O dia 14 de novembro é conhecido como Dia Mundial do Combate ao Diabetes. A data se tornou oficial pela ONU (Organização das Nações Unidas) da partir de 2007. O dia foi escolhido por ser a data de aniversário de Frederick Banting que, junto com Charles Best, inventou a insulina em 1921.

O site do Ministério da Saúde explica que diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, o hormônio que regula a glicose no sangue e garante energia para o organismo.

Considerada a doença mais comum do mundo, hoje ela já atinge mais de 415 milhões de pessoas no mundo e estima-se que, até 2040, 642 milhões de pessoas serão diabéticas, os dados são do Observatório Nacional da Diabetes de Portugal.

No Brasil, um estudo feito pela Sociedade Brasileira de Diabetes mostra que  50% dos indivíduos identificados com diabetes não sabiam que tinham o diagnóstico de diabetes, com cerca de 12 milhões de pessoas atingidas. No comparativo entre homens e mulheres, os casos em mulheres representam 2% a mais de incidência.

Por isso, os objetivos da campanha anual são: incentivar os governos a implementar ou fortalecer políticas de controle e prevenção; disseminar ferramentas para apoiar as iniciativas nacionais e locais para a prevenção; e, aumentar a conscientização dos sinais de alerta do diabetes e incentivar o diagnóstico precoce.

 

Cuidados, Sintomas e Prevenção

 

De acordo com o site Novembro Diabetes Azul, o diabetes exige cuidados para o resto da vida. Pois, durante o tratamento é preciso medir a glicemia e tomar os medicamentos diariamente, além de se exercitar e ajustar os hábitos alimentares.

Entre os principais sintomas da Diabetes tipo 1 estão:

– Sede excessiva;

– Rápida perda de peso;

– Fome exagerada;

– Cansaço inexplicável;

– Mudança de humor;

– Muita vontade de urinar;

– Má cicatrização;

– Visão embaçada;

– Falta de interesse e de concentração;

– Vômitos e dores estomacais.

 

No tipo 2, além desses sintomas, há também infecções frequentes na bexiga, rins e pele. No Diabetes tipo 1, esses sintomas podem demorar para ser identificados, mas são mais aparentes. Já no tipo 2, eles são mais moderados e até inexistentes. O tipo 2 é o que atinge a maior parcela das pessoas e dependendo da gravidade pode ser tratado apenas com atividade física e planejamento alimentar. Em outros casos é preciso de medicação para controlar a glicose.

Existem alguns fatores de riscos que podem ajudar no desenvolvimento do diabetes, além dos fatores genéticos, é mais frequente em fumantes; pacientes com pressão e colesterol altos; sobrepeso; doenças renais crônicas; apneia do sono; e, uso de alguns medicamentos.

Por isso, a principal maneira de prevenir a diabetes, segundo o Ministério da Saúde, é tendo uma vida com hábitos saudáveis. Comer verduras, legumes e frutas; reduzir o consumo de sal; parar de fumar; praticar exercícios regularmente e manter o peso controlado são as principais maneiras de se prevenir.

 

O que é pré-diabetes?

 

Muita gente não sabe, mas o pré-diabetes é um alerta importante que o corpo dá. Isso acontece quando os níveis de glicose no sangue estão mais altos do que o normal, mas ainda não suficiente para caracterizar o tipo 1 ou 2 de diabetes. Cerca de 50% dos pacientes que apresentam esses sintomas, mesmo com as orientações médicas, acabam desenvolvendo a doença. Por isso, é fundamental ficar de olho!

Quando foi a última vez que você fez um checkup para saber se tem diabetes? A Sociedade Brasileira de Diabetes criou o Diabetes Play, um canal de conteúdo com o foco de promover a educação sobre o tema, receitas e outras novidades para informar a população sobre a doença.

 

Combate ao Diabetes, pelo Dr. Marcos A. Tambascia

 

Dia 14 de novembro é considerado o dia internacional do diabetes. Nesse dia se comemora o nascimento do médico canadense Frederick Banting, que realizou as pesquisas que terminaram com o isolamento da insulina e seu uso em humanos para tratar essa doença em 1922. A insulina foi a primeira proteína a ser utilizada com fins terapêuticos e conseguiu salvar milhões de pessoas acometidas pelo diabetes tipo 1, tipo que incide mais frequentemente em crianças e adolescentes e que o uso de insulina é a única forma de conseguir o controle metabólico. Nesse período de pandemia, devemos também lembrar que o controle adequado do diabetes permite uma evolução mais favorável aos acometidos pela Covid19.